Verão de São Martinho: o místico calor fora de época português

Por Giuliana Miranda

Depois de várias semanas de temperaturas baixas e de chuvas em boa parte do país, os dias ensolarados e de céu azul estão de volta a Portugal.

É como se as ruas tivessem ganhado um sopro de vitalidade, com mais gente circulando, roupas mais leves e parques e espaços abertos lotados de gente esparramada embaixo dos raios de Sol.

Turistas passeiam no calor fora de época português Crédito: Giuliana Miranda
Turistas passeiam no calor fora de época português Crédito: Giuliana Miranda

Estamos na época do chamado “verão de São Martinho”, uma onda de calor fora de época –em pleno outono–, que acontece praticamente todos os anos e é celebrada com festa, boa comida e muita bebida em Portugal.

Embora haja uma explicação científica para esse fenômeno –é uma flutuação meteorológica normal, causada essencialmente pela movimentação de massas de ar, uma espécie de reequilíbrio da atmosfera do verão para o outono que acontece de forma similar também em outras partes do mundo–, este período é cercado de misticismo.

Segundo a lenda mais famosa (há uma infinidade de variações), um soldado romano cavalgava em um gélido dia de outono quando foi parado por um mendigo praticamente sem roupas e que lhe pediu ajuda. Sensibilizado, o homem usou sua espada para cortar ao meio a capa que vestia e deu metade ao andarilho.

Pouco depois, é como se os céus tivessem recompensado o gesto de bondade de São Martinho: o tempo virou, a temperatura esquentou e assim ficou por alguns dias. E assim, desde então, isso se repete na mesma altura todos os anos.

Como quase toda tradição com raízes religiosas em Portugal, o verão de São Martinho é comemorado com comida farta e tradicional.

No dia do santo, 11 de novembro, acontece o magusto, uma festa popular em que se assam castanhas em volta de uma fogueira.

Os portugueses também não deixam de fora as bebidas tradicionais: o agua-pé, mais leve e feito com água e o suco das uvas antes da fermentação, e a jeropinga, a potente mistura de água-ardente e o mosto das uvas.

Também é nesta altura que se prova o chamado “vinho novo”, das uvas colhidas há pouco tempo.

De acordo com o IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera), várias cidades terão temperaturas acima dos 22°C no país. Leiria pode chegar aos 25°C. Já Évora, Beja e Braga devem ter máximas de 24°C.

Nada mau para a Europa, onde já há cidades cobertas com flocos de neve.

****

Ora Pois no Facebook

Para facilitar o contato com os leitores, o Ora Pois agora tem uma página no Facebook.

Espero vocês por lá!