Sete situações que os brasileiros estranham em Portugal

Por Giuliana Miranda

Portugal e Brasil têm muita coisa em comum além da língua, mas algumas situações absolutamente corriqueiras da vida portuguesa ainda surpreendem (e espantam) muitos brasileiros que chegam por aqui.

A pedido de alguns leitores, fiz uma lista do que costuma surpreender os brasileiros em Portugal.

1. Caixa eletrônico no meio da rua

Quem vem do Brasil —onde a maioria dos caixas eletrônicos fica em uma salinha de acesso restrito e só funciona até as 22h— costuma levar um susto quando vê os portugueses tirando dinheiro no meio da rua, sem qualquer cerimônia.

O mais comum é que as máquinas, aqui chamadas de multibanco, fiquem mesmo nas calçadas, sem qualquer restrição de acesso e para todo mundo ver. Também não há horário limite para o funcionamento e os clientes de um banco podem usar os aparelhos com a “bandeira” de outro sem qualquer custo adicional.

Caixas-eletrônicos costumam ficar no meio da rua | Crédito: Giuliana Miranda
Caixas eletrônicos costumam ficar no meio da rua | Crédito: Giuliana Miranda

2. Cinema com intervalo

A maioria das salas de cinema tem uma pausa no meio do filme. Os longas são interrompidos sem aviso prévio, as luzes se acendem e a tela é tomada por um aviso de intervalo.

Muitos clientes aproveitam para ir ao banheiro e garantir a reposição do estoque de pipoca.

Pelo menos, não há trailers ou comerciais durante o break.

Várias salas de cinema têm intervalos na exibição dos filmes | Crédito: Giuliana Miranda
Várias salas de cinema têm intervalos na exibição dos filmes | Crédito: Giuliana Miranda

3. Cigarro no restaurante e na balada

Muitos restaurantes — e até a praça de alimentação de alguns shoppings— têm um espaço reservado para os fumantes. Na balada, também é normal a presença de clientes consumindo cigarros em meio aos não fumantes.

Mas isso deve mudar. No ano passado, Portugal aprovou uma revisão na chamada lei do tabaco, que estabeleceu, entre outras coisas, o fim do fumo em lugares públicos. Os estabelecimentos, porém, ainda vão ter muito tempo para se adaptarem. A norma prevê uma adaptação gradual desses espaços até 2021, quando entra em vigor a proibição total ao fumo.

4. “Você” é uma palavra formal

No português de Portugal, tratar alguém por “você” indica formalidade. Entre amigos e familiares, o mais comum é o uso de pronome tu, que indica proximidade e informalidade.

Em ambientes como universidades e empresas, tratar o professor ou o chefe por tu é considerado falta de educação.

5. Posto de gasolina sem frentista

A grande maioria dos postos de gasolina não têm funcionários para abastecer o carro. São os clientes que operam as mangueiras, colocam a gasolina e até calibram os próprios pneus.

O pagamento em geral pode ser feito em via cartão de crédito na própria máquina ou diretamente a um atendente instalado nas lojas de conveniência dos postos de combustível.

Quem faz questão do frentista até consegue encontrar alguns postos de gasolina com o serviço, mas costuma pegar bem mais caro por isso.

6. Moeda no carrinho no supermercado

Nos supermercados do Brasil, usar um carrinho de metal para fazer compras é simples: basta encontrar um que esteja livre. Em Portugal, não é bem assim. A maioria dos estabelecimentos só libera os carrinhos quando o cliente põe uma moedinha para destrancar a trava do carrinho.

Funciona como se fosse uma caução: quando o carrinho é devolvido, a moeda é liberada.

Incomum até em relação a outros países da Europa, a “cobrança” pelo carrinho costuma provocar cenas engraçadas, como turistas desavisados tentando arrancar os dispositivos na marra.

Na dúvida, as cestinhas são de graça. Inclusive aquelas maiores e com rodinhas.

Trava só libera carrinho no supermercado com uma moeda de 0,5€ ou 1€ | Crédito: Giuliana Miranda
Trava só libera carrinho no supermercado com uma moeda de 0,5€ ou 1€ | Crédito: Giuliana Miranda

7. Banheiro sem ralo

Assim como nos EUA, os banheiros de Portugal não costumam ter um ralo em algum cantinho do chão. Ou seja: em vez de simplesmente jogar um balde com água para fazer a limpeza —como muita gente faz no Brasil— é preciso pensar em uma estratégia que não inunde os outros cômodos da casa.

Você se lembra de mais alguma coisa? Compartilhe com a gente aqui nos comentários 🙂

****

Ora Pois no Facebook

Já conhece a página do Ora Pois no Facebook?

Faça uma visitinha e fique sempre por dentro das atualizações do blog.