Cerejeiras colorem a primavera e impulsionam o turismo e a economia do centro de Portugal

Por Giuliana Miranda

As cerejas são um dos maiores símbolos dos dias de calor em Portugal, quando toneladas da frutinha são consumidas de Norte a Sul do país. Mas a o encanto —e o poder econômico— do fruto começa antes mesmo da colheita.

O início da primavera marca a floração das cerejeiras, um espetáculo natural raro que dura apenas duas semanas. É nesta época que os campos da município do Fundão, no centro do país, cobrem-se de delicadas flores brancas.

O espetáculo da floração das cerejeiras é atração em vários países, com especial destaque no Japão. Por lá, essas flores simbolizam renovação, e é a tradição de fazer um piquenique embaixo das árvores, como forma de atrair boa sorte.

Maior produtor de cereja em Portugal, o município do Fundão decidiu usar a singularidade da flora local para atrair mais turistas para a região. Em parceria com hotéis, empresas, produtores de cereja e até com os moradores, a Câmara Municipal (equivalente à prefeitura no Brasil) preparou uma série de eventos comemorativos.

No último sábado (9), participei de uma das principais atrações: um passeio de balão pelas belas paisagens da região de Alcongosta, conhecida como a “capital da cereja”.

Encravada entre a serra da Estrela e a serra da Gardunha, a área tem o microclima ideal para a produção de cerejas: temperaturas muito baixas no inverno e bem mais quentes já no início da primavera.

O tour no balão dura cerca de uma hora e é preciso acordar cedo: a partida está marcada para as 7h.

Passeio de balão é uma das atrações do período da floração das cerejeiras em Portugal | Crédito: Giuliana Miranda
Passeio de balão é uma das atrações do período da floração das cerejeiras em Portugal | Crédito: Giuliana Miranda

O percurso varia conforme a “vontade” dos ventos, e os que têm mais sorte meteorológica —o que não foi o meu caso— podem passar mesmo bem pertinho dos cerejais floridos. A velocidade é baixa e tanto a subida quanto a descida foram suaves e tranquilas: bem melhores do que muitos voos da ponte aérea Rio-São Paulo que eu já experimentei.

Balões oferecem vista panorâmica para as serras da Estrela e da Gardunha| Crédito: Giuliana Miranda
Balões oferecem vista panorâmica para as serras da Estrela e da Gardunha| Crédito: Giuliana Miranda

Para quem quer mesmo conhecer os pomares, a organização local preparou ainda um passeio em um trenzinho (comboio, como se diz em Portugal) turístico que leva a algumas plantações. De lá, é possível ver de perto o tapete de flores brancas que parece cobrir toda a paisagem.

Para quem deseja fazer parte do culto às cerejas em todo seu esplendor, a câmara oferece ainda a possibilidade de apadrinhar uma árvore. Pelo programa, o visitante planta uma pequena muda de cerejeira e coloca uma plaquinha de identificação. Com o passar do tempo, ele passa a receber atualizações periódicas sobre o estado da árvore e, uma vez por ano, tem direito a parte das frutas produzidas.

Como se leva quatro anos até que as cerejeiras comecem a dar frutos, nos primeiros anos o padrinho ou a madrinha recebe 2 kg de cerejas vindas de outras árvores.

Além disso, há ainda outros eventos comemorativos: caminhadas, trilhas, rotas de bicicleta e degustação de diversos produtos típicos.

ECONOMIA

O presidente da Câmara Municipal do Fundão, Paulo Fernandes, diz que o projeto tem o objetivo atrair mais turistas e também dar mais sustentabilidade à economia da região.

O autarca destaca também o papel educativo e de valorização da agricultura trazido com a iniciativa.

“As pessoas também precisam conhecer o produtor, saber que sem ele, não há fruta”, explica.

Fernandes destaca que a cereja portuguesa tem uma vantagem competitiva em relação a de outros países: é uma das que brotam mais cedo. Entre o fim de abril e a primeira semana de maio, já é possível saborear as primeiras frutinhas. No resto da Europa, a produção costuma começar a partir de meados de maio.

Flores das cerejeiras devem se despedir já no próximo fim de semana | Crédito: Giuliana Miranda
Flores das cerejeiras devem se despedir já no próximo fim de semana | Crédito: Giuliana Miranda

Nos últimos anos, os produtores de cereja do Fundão têm investido na criação de produtos feitos à base da fruta. O mais recente deles é um suco da polpa feito em parceria com a marca Compal.

Também são famosos os pasteis de cereja e os bombons recheados com o licor da fruta.

Infelizmente, as flores de cerejeira devem se despedir já no fim desta semana. Mas, em junho, embalado pelos belos dias de verão, acontece o famoso festival de cereja da região, que costuma atrair 30 mil pessoas por dia.

No site da Câmara Municipal do Fundão há mais informações sobre os passeios e o festival.

****

Ora Pois nas redes sociais

Já conhece a página do Ora Pois no Facebook? Faça uma visitinha e fique sempre por dentro das atualizações do blog.

E hoje tem novidade: o blog chegou ao Instagram: @orapoisblog . Prometo postar belas imagens (e compartilhar muitas dicas).