Lisboa recebe 60 mil pessoas para Web Summit e networking migra até para barzinhos

Por Giuliana Miranda

Um dos maiores eventos de tecnologia e empreendedorismo do mundo, o Web Summit reúne cerca de 60 mil pessoas de mais de cem nacionalidades durante esta semana em Lisboa.

Com a proposta de conectar nomes de peso da tecnologia com empreendedores e profissionais mesmo em início de carreira, o encontro virou também uma grande plataforma de networking.

Os ingressos —que custaram entre os €80 (R$ 303) e chegam até os €5.000 (cerca de R$ 18.960)— se esgotaram antes mesmo da abertura, na noite de segunda (6).

A programação oficial —que inclui palestras que vão desde o secretário-geral da ONU ao CEO do Tinder, passando ainda por um dos marketeiros de Donald Trump— ocupa todo o espaço da enorme Altice Arena, na moderna região do Parque das Nações. A interação (e animação) do grupo, porém, está longe de ficar por ali.

Além de trocarem pilhas de cartões de visitas e de se adicionarem mutuamente no LinkedIn, os empreendedores deste século querem saber o que é que Lisboa tem.

A partir das 16h, quando o ritmo de palestras começa a diminuir, a horda de millenials se espalha pelas sete colinas da cidade em uma série de eventos paralelos que vão desde apresentação de produtos e músicas portuguesas até “pub crawls”, uma espécie de maratona por vários barzinhos.

Participantes do Web Summit invadem o Bairro Alto | Foto: David Fitzgerald/Web Summit via Sportsfile
Participantes do Web Summit invadem o Bairro Alto | Foto: David Fitzgerald/Web Summit via Sportsfile

O epicentro da ferveção é a região do Bairro Alto e do Chiado, espécie de Vila Madalena da capital portuguesa.

Batizados de “Night Summit”, os encontros noturnos são até organizados pela direção do Web Summit, que faz uma lista dos melhores lugares para badalar e, quem sabe, fazer contatos profissionais.

A maior parte da frequência é composta por membros de equipes de start-ups, jornalistas e empreendedores, mas de vez em quando aparecem figurões do mundo da tecnologia para tomar uma cerveja e interagir com a juventude.

Tudo é registrado para as redes sociais| Foto: David Fitzgerald/Web Summit via Sportsfile
Tudo é registrado para as redes sociais| Foto: David Fitzgerald/Web Summit via Sportsfile

O criador do Web Summit, Paddy Crosgrave, costuma ser um dos mais animados.

Em 2017, o evento nascido em Dublin em 2010 bateu novos recordes, com mais de 1.600 empresas participantes.

Surf

Quem prefere um estilo mais diurno e menos etílico também não fica desamparado. O Web Summit criou ainda um grupo de networking pelo esporte: o “Surf Summit”, que aconteceu na praia da Ericeira, a cerca de meia hora da capital portuguesa.

Participante do Suf Summit 2017 pega onda na Ericeira | Foto: Stephen McCarthy/Web Summit via Sportsfile
Participante do Suf Summit 2017 pega onda na Ericeira | Foto: Stephen McCarthy/Web Summit via Sportsfile

 

Mais Ora Pois